quinta-feira, 2 de abril de 2009

Uma prova de amor ao próximo!


Você já parou para pensar como é difícil para alguém depender do sangue dos outros para sobreviver?
Olha, eu tive a alguns meses atrás uma experiência terrível... A Heleninha estava com o número de plaquetas (as células de coagulação do sangue, que impedem as hemorragias) baixíssimas, em pouquíssima quantidade mesmo! A quimioterapia era bastante agressiva e baixava todas as células do sangue, na verdade inibia a medula a produzir as células...
Ficamos em alerta! Ela estava bem, mas meio pálida demais, os dentinhos pareciam meio sujos, amarelados demais (eles são lindas canjiquinhas brancas)... até que começou a sangrar as gengivas dela e não parava, ela adormeceu... ligamos para o médico e ele falou para acompanharmos, caso o sangramento persistisse nós a levaríamos para o Hospital... eperamos uns 10 min e quando fomos abrir sua boquinha estava repleta de sangue... ela não conseguia nem engolir... fomos correndo para lá.
Quando chegamos o médico avaliou e pediu calma, mas que iriam interná-la para transfusão que aconteceria assim que eles conseguissem emprestar alguma bolsa de plaquetas... eu perguntei como assim? Ele me explicou que estavam sem bolsas de plaquetas no banco do Hospital e em todos os outros, que ligaram assim que ligamos da primeira vez, também não tinham nem para emprestar, Curitiba estava SEM doadores!
Vocês podem ter uma idéia de como me senti inútil? O médico falou que nem que o Pápa aparecesse lá e dissesse tirem meu sangue e usem, eles o fariam... tem todo um cuidado que o sangue precisa ter antes de ser transfundido... às vezes demora dois dias para ficar "pronto para o uso"...
Acabou que durante aquela madrugada ela ficou recebendo plasma (líquido do sangue)... enfim pela manhã, conseguiram "emprestar" as bolsas necessárias para a Heleninha...

Saiba mais lendo como é feito no Hospital Erasto Gaertner...

Para doar sangue é necessário:
Estar em boas condições de saúde;
Apresentar documento de identidade original com foto;
Ter entre 18 e 65 anos;
Ter peso mínimo de 50 kg;
Ter descansado no mínimo 6h nas últimas 24h;
Não estar gripado, com alergia ou febre;
Não estar grávida ou amamentando;
Não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12h;
Não ter ingerido alimentos gordurosos no dia da doação;
Manter um intervalo de 2h após o almoço;

Não poderá doar:
Quem fez tatuagem nos últimos 12 meses;
Portadores de vírus da AIDS, HBV, HCV ou HTLV;
Pessoas que já viveram situações sexuais de risco acrescido;
Quem possui histórico de doença hematológica, cardíaca, renal, pulmonar, hepática, auto-imune, diabetes, hipertireoidismo, hanseníase, tuberculose, câncer, sangramento anormal, convulsão após os dois anos de idade ou epilepsia, sífilis, doença de Chagas ou malária;
Comportamento de risco: usuários de drogas ou relação com parceiros usuários de drogas, ou com parceiro não fixo nos últimos seis meses (sem preservativo);
Medicamentos: anticoncepcionais, vitaminas e medicações digestivas, permitem a doação de sangue. Antibióticos, corticoídes, antipsicóticos e algumas vacinas impedem temporariamente a doação;
Em casos de anemia;
Quem recebeu sangue nos últimos 12 meses;

Como é a doação?
Ao chegar, a pessoa fará um cadastro em nosso banco de dados;
Em seguida será submetida ao teste de Micro-hematócrito (para verificar se doador está com anemia), verificação dos sinais vitais (pressão arterial, batimento cardíaco e temperatura) e avaliação clínica (entrevista);
Não havendo problemas, a pessoa estará habilitada à doação;
Depois disso, é oferecido um lanche que deve ser tomado no local e, em seguida, o doador é liberado.

Interessante você saber que:

- A doação não traz risco à saúde;

- Todo material utilizado é descartável;

- Mulher em período menstrual pode doar, desde que não esteja sentindo cólicas, dor de cabeça ou com fluxo intenso;

- Quem doa sangue uma vez não é obrigado a doar sempre;

- Antes de ser utilizado, o seu sangue passará pelos seguintes exames: Hepatite B, Hepatite C, Sífilis, Chagas, HTLV, HIV;

- Intervalo mínimo entre as doações:Homens - 60 dias e no máximo 4 vezes ao ano;Mulheres - 90 dias e no máximo 3 vezes ao ano.

- Doar sangue é seguro? Sim, todo o material utilizado na doação é descartável, de uso único e não oferece qualquer risco ao doador.

Preciso ter algum cuidado especial após a doação?
Depois de doar sangue:
- Tome bastante líquido.
- Não fume por 2 horas a pós a doação.
- Evite bebidas alcoólicas no dia da doação.
- Evite esforços físicos no dia da doação.
- Só deixe o banco de sangue se estiver se sentindo bem.

O que acontece com o sangue doado?
Após a doação, o sangue é encaminhado para fracionamento, onde é dividido em até quatro hemocomponentes, beneficiando até quatro pacientes. As amostras serão encaminhadas para a realização de exames exigidos por lei (tipagem ABO e RH), pesquisa de anticorpos irregulares e hemoglobina S e pesquisa de doenças infecciosas (HIV, hepatites B e C, chagas, vírus HTLV I/II e sífilis). e depois encaminhado para os pacientes...

Quando vou receber os resultados do exame do meu sangue?
Em 15 dias os resultados ficam disponíveis em nosso banco de dados, podendo ser retirados pelo próprio doador ou por alguém conhecido, mediante a apresentação do protocolo de doação ou documento oficial com foto.

COMO SE DÁ O PROCESSO DE DOAÇÃO DE PLAQUETAS POR AFÉRESE
O sangue é retirado do doador, separado nos seus componentes e as plaquetas são coletadas e armazenadas numa bolsa do circuito descartável e estéril acoplado ao equipamento de aférese (automatizada). Os outros componentes sanguíneos são devolvidos ao doador. A duração média da coleta é de cerca de 90 minutos. A doação de plaquetas por aférese oferece a vantagem de coletar de um único doador, um componente com número de plaquetas suficiente para transfusão em um adulto.
Numa doação de sangue convencional, seriam necessários seis doadores para obter o mesmo número de plaquetas. O concentrado de plaquetas coletado pode ser mantido em estoque, no máximo, por cinco dias. Esse é um dos fatores que contribuem para a necessidade constante de doação de plaquetas, principalmente por aférese.

Olhem, não tem dinheiro no mundo que salve uma vida que precise de sangue se ele não existe disponível em lugar algum...
O mundo precisa de pessoas mais generosas com as outras, pensem nisso, sejam doadores!
Além de não fazer mal, vai ajudar a salvar vidas e ainda terão um check-up gratuito!
Vá lá, dói um pouquinho, mas pense se é maior que a dor de uma mãe ao ver sua filhinha se esvair, sem nada por fazer...

Um beijo e boa noite, Keli.

2 comentários:

carla fazendo artes disse...

Oi Keli.Parabéns pela afilhada.Valeu pela dica da doação de sangue.Hoje fui ao correio para saber quanto custa para mandar o pijama e vi que o que terei que pagar ao correio,se não seria mais conveniente fazer o depósito(pelo menos será usado todo o dinheiro com quem precisa).O total que irei gastar com os pijamas que mandaria e a postagem.O que achas? Me mande a resposta.Obrigada.

krystal disse...

Oi Keli, adorei este seu postu, meu sangue é O -
Em S.Paulo eu sempre doava, acho super importante, amanha farei um post no Portalis sobre isso e colocarei um link para o seu blog. Se calhar vou usar um bocadinho do seu texto para introdução do post vc nao se importa?
Bjs